Autor: Rui Enes Alves

Development

Em tempos de crise económica crescer só é possível com trabalho árduo e com a ambição de procurar ser sempre o melhor. Todo o país está envolvido, todas as profissões estão a ser postas à prova. Começam a ficar cada vez mais visíveis as pessoas que são mais criativas e proactivas no seu trabalho. Daí emergem os Consultores que são alvo neste artigo.

Um Consultor é desafiado quando o Cliente necessita uma solução e não tem recursos dentro da sua organização para a concretizar. O Consultor tem, à partida, mais know-how e uma outra perspectiva sobre o problema, mas isso por si só não chega. É essencial ter um conjunto de competências bem presentes, que são inerentes à sua profissão.

Um Consultor tem de gostar de aprender. À partida ninguém sabe tudo e, neste panorama, só sobressaem aqueles que querem aprender cada vez mais e que tiram partido do conhecimento adquirido para evoluir e promover um serviço de elevada qualidade. Se existe a possibilidade de ir a uma conferência sobre um assunto que interessa ao Cliente, o Consultor sugere, vai e posteriormente apresenta um resumo dos pontos mais relevantes. Se existem no Cliente pessoas com grande conhecimento que lhe interessa, deve interagir mais com elas.

Um Consultor tem de ser proactivo. Se não sabe, procura. Se o Cliente não fornece todos os requisitos, o Consultor deve pensar por si e sugeri-los ele próprio. Se o projecto não tem documentação, ele próprio deve fomentar a sua produção. Se tem um problema complexo em mãos e não consegue resolvê- lo em tempo útil deve procurar a ajuda de outros Consultores mais experientes dentro da empresa. Se o Cliente não tem capacidade para usar o seu produto, deve promover uma formação. Se acha que o Projecto ou o Cliente estão a caminhar no rumo errado, deve alertar para esse facto.

Um Consultor tem de ser Comunicativo. Deve falar no momento certo e surpreender de forma construtiva. Se a reunião não está a ser produtiva ou não está a ir no caminho certo, é obrigação do Consultor uma alteração do rumo da mesma. A forma de comunicar deve ser adaptada ao contexto e aos Cliente. A comunicação tem de ser assertiva. Em suma, o Consultor tem de conseguir comunicar bem com todos os Clientes e também com todos os seus Parceiros.

Um Consultor deve cumprir e exceder expectativas. O Consultor não fica parado, cumpre os objectivos e muitas vezes consegue primar pela diferenciação quando apresenta algo mais. O Consultor deve antecipar o que o Cliente quer. Se está a fornecer um formulário, deve introduzir a possibilidade de fácil extensão pois o Cliente irá pedir, numa data indeterminada, novos campos. O Consultor deve antecipar problemas e também perceber quais as expectativas das pessoas perante o projecto e ele próprio.

Um Consultor tem de saber trabalhar sempre em equipa. Mesmo em projectos com um só um Consultor na equipa, este não está sozinho, pois o Cliente também faz parte da mesma, para atingir um objectivo comum. Deve manter sempre uma postura de entreajuda mesmo que existam membros que não correspondam da mesma forma. Se o Consultor for líder da sua equipa deve conhecer as capacidades e as expectativas dos seus Consultores para cooperarem juntos no desenvolvimento eficaz do projecto.

Um Consultor deve fomentar satisfação no Cliente. Acima de tudo, um Consultor tem de ser assíduo e ter boa postura. Juntar a motivação ao seu trabalho, inovando sempre que possível tendo em conta o interesse para o projecto em causa e sem ir contra as expectativas do Cliente. O Consultor deve ver o panorama geral do Cliente e conciliar tudo de forma a atingir com sucesso vários departamentos.

O Consultor Completo está longe de ser perfeito e de saber tudo, mas procura sempre soluções e sabe tirar partido dos benefícios do seu círculo de trabalho. No fundo, as qualidades que apresentei fazem parte integrante do Plano de Carreira Mind Source, que gera e oferece ao mercado Consultores com Talento