Autor: Ricardo Nicolau

Business Analytics

O termo Data Science e a sua vertente implementacional, ou seja, quem implementa projectos desta natureza nas Organizações – o Data Scientist – tem-me intrigado nestes últimos tempos…

Vejo-me com experiência suficiente para abraçar qualquer projecto de BI, mas esta nova vertente teima em deixar-me a repensar se seria de facto capaz… Tenho evoluído à custa de ambição, motivação, vontade de aprender, no fundo a sair da zona de conforto para abraçar desafios e transpondo-os, tornar-me realizado profissionalmente.

Devo ainda ter o suficiente espírito adolescente para perceber que ali, no Data Science, há algo sexy que me leva a espreitar e querer conhecer, experienciar, enfim colocar a minha marca a fim de poder dizer “been there done that. I Know what I’m talking about...”

Mas afinal, o que é preciso para ser um Data Scientist? Em que consiste? Vou estudar? Aprendo por mim?

Data Science é um mundo complexo e envolve muitos domínios e competências específicas, por definição engloba todas as formas pelas quais a informação e o conhecimento são extraídos dos dados.

Os dados estão em toda a parte, e são encontrados em quantidades enormes e exponencialmente crescentes. Data Science como um todo, reflecte a forma como os dados são descobertos, acondicionados, extraídos, compilados, processados, analisados, interpretados, modelados, visualizados, relatados e apresentados independentemente do volume de dados processados.

Data Science é mais do que apenas um mundo complexo, em grande parte devido à diversidade e número de valências académicas e tecnologias que utiliza. Este mundo complexo incorpora matemática, estatística, computação e programação, modelação estatística, tecnologias de bases de dados, processamento de sinal, inteligência artificial e machine learning, processamento de linguagem natural, visualização, análise preditiva e assim por diante.

É ainda altamente aplicável a muitos campos, incluindo redes sociais, saúde, segurança, ciências sociais e biológicas, engenharia, defesa, negócios, economia e finanças, marketing, georreferenciação e muitos mais.

Vejo então o Data Scientist como o profissional que faz a “disciplina” Data Science existir e entranhar-se cada vez mais como uma necessidade nas nossas Organizações. Há anos atrás ninguém procurava por Data Scientists, é um conceito relativamente recente que advém da necessidade de incorporar uma pluralidade de competências num profissional só, capaz de responder melhor às reais necessidades das Organizações dos dias de hoje. Mas a popularidade que hoje detém, e que se alastra ao mercado internacional, demonstra uma orientação das organizações para o paradigma Data Science, importante para lidar com o imenso e disperso volume de informação que não deve ser ignorado, uma vez que integra importantes factos e segredos de negócio por vezes ainda desconhecidos. Diz-se ainda que Data Science combina o melhor de três mundos: o mundo dos negócios das Organizações, da estatística e do IT. Não dira melhor.

Assim de repente, acho que o mercado não tem Data Scientists… Um Data Scientist parece quase uma criatura mítica, dado o rol necessário de competências que é exigido este tipo de profissional. Provavelmente nunca chegarei a ser um. Acredito no entanto que existam equipas multidisciplinares de Data Scientists, compostas por elementos altamente qualificados para desempenhar as várias valências e exigências de Data Science devidamente adaptadas à necessidade premente de obter conhecimento. Só desta forma acredito possa ter hipótese de integrar um desses desafios no mundo complexo de Data Science.

Publicado a 07-07-2017 in Empresas Hoje